Passeio de Escuna – Guarapari, Espírito Santo, Brasil

Em um dos dias fiz um passeio de escuna em Guarapari, seguem aí algumas fotos

O passeio tem lindas paisagens. Percebe-se o risco de tempos nublados em alguns momentos, algo tão típico do litoral da região Sudeste… rs. Com o passeio dá pra ver grande parte das praias de Guarapari (como não aluguei carro quando estava lá, fiquei meio que preso só em Meaípe), porém, uma coisa que não curti tanto é que o passeio teve apenas uma parada, que foi nesta parte da foto abaixo, acho que deviam fazer mais paradas, como nos passeios de escuna em Paraty, por exemplo. O lugar da parada era muito bonito, mas para variar, a água era muito gelada!

This slideshow requires JavaScript.

Restaurante Guaramare – Guarapari, Espírito Santo

Então, quando estava em Guarapari, em uma noite fui provar o que o guia 4 rodas considerou o melhor restaurante de pescados do Brasil: Guaramare. Será que era tudo isso mesmo? E não é que era mesmo? O restaurante tem duas estrelas no guia. E, definitivamente, não é barato!

O lugar é muito legal, um casarão decorado com materiais de demolição e com obras de arte do próprio dono do lugar, um macedônio (!) radicado no Brasil chamado Vicente Bojovski.

E como quem está na chuva é pra se molhar, decidi pedir o melhor prato, um misto com peixe, camarão e lagosta. O preço: 140 reais! Pra uma pessoa. E se eu te disser que valeu cada centavo?

O cuidado já começa na entrada, uma salada e um pão (acho que com alho) muito gostosos. Quando vem o prato principal, é um espetáculo! O próprio dono vem servir o prato, e é muito atencioso, te dá as boas vindas, conta histórias, sugere vinhos. Os peixes e os frutos do mar, gigantes, vem numa bandeja gigante e ele monta o prato na hora. E são muito frescos, e ele faz questão de escolher os melhores com os pescadores da região.

Primeiro um arroz a grega muito bom, com uvas passas grandes, meio frescas, uma delícia. Depois o peixe que ele tira a carne na hora e coloca no meio do prato, e então, um camarão de cada lado e uma lagosta de cada lado, ambos gigantes, e uma batata e um limão.

É como eu digo, tem restaurante de 100 reais que vale o preço e tem restaurante que 10 reais é caro. O sabor delicioso desse prato nunca irei esquecer, está entre os melhores restaurantes que já fui na minha vida, recomendo para todo mundo, e não vejo a hora de voltar lá.

Praia de Meaípe – Guarapari, Espírito Santo

Em 2010, quando saí de uma empresa para trabalhar em outra, consegui uma semana de folga entre elas, então aproveitei para ir conhecer a cidade de Guarapari, no Espírito Santo. Decidi ir de ônibus, estava acostumado a pegar 6 ou 8 horas de viagem para ir para Paraty, Ilha Grande, só que para Guarapari foram 14 horas. Teria sido melhor ir de avião… rs. Inclusive, porque hoje em dia, se pegar uma promoção, é capaz de ficar mais barato do que ir de ônibus, e em uma hora e meia daqui de São Paulo já se chega lá.

Quando cheguei em Guarapari, uma das primeiras coisas que pensei foi: “finalmente vou conhecer as terras capixabas, a terra do cantor Roberto Carlos”

Esta foi a pousada que eu fiquei, Pousada do Sol, na praia de Meaípe. Preço bom e com uma boa piscina. Quartos simples, mas limpos e confortáveis.

Esta era a rua a que eu tinha acesso na Praia de Meaípe, andando uns 20 metros, uma delícia!

Seguem outras fotos da Praia de Meaípe. É uma praia bem bonita. Achei as praias do Espírito Santo bem uma mistura, uma transição entre as praias do Sudeste e do Nordeste. Porém, uma desvantagem, pelo menos em Guarapari é que, apesar do clima estar muito quente (era final de fevereiro) a água era muito gelada! E olha que eu estou acostumado a entrar em cachoeiras, mas chegava a doer o pé por causa do frio. Aí quando não aguentava mais o frio da água, andava um pouco pela praia, pois o sol estava de rachar.

Logo que cheguei em Meaípe, estava com fome. E logo que cheguei pude comprovar o que já ouvia falado sobre a culinária do estado capixaba. Realmente é muito boa! Até mesmo em lugares bem simples! Fui comer em uma lanchonete que fica no extremo do lado esquerdo da praia, não lembro o nome, tem um caranguejo no letreiro. Pedi um caldinho de feijão, pensei que seria um negócio simples, tipo um copinho com feijão. Mas não! Vinha uma panela típica capixaba, de pequena pra média, com feijão preto e linguiça, quase uma feijoada, um pão francês esquentado na chapa. E o tempero do feijão era muito bom, com bastante coentro.

Olha a água clarinha e a areia cor de laranja, que coisa bonita!

Essa foto é do lado esquerdo da praia, com essa igrejinha de fundo

Continuando falando sobre culinária, depois fui comer o famoso bolinho de aipim, típico da cidade. Já tinha lido críticas positivas e negativas no site Férias Brasil. Porém, o bolinho era espetacular! Uma das melhores comidas de rua que já provei. Apesar de ser fritura, era bastante leve! A massa era uma delícia, sequinha, e o recheio… Vinha muito recheio! Eu havia pedido de frango, e o tempero do recheio também era muito gostoso.

Provavelmente o lugar de praia com mais restaurantes estrelados pelo guia 4 rodas por metro quadrado, até os lugares que vendem comida de rua é de bastante qualidade. Inclusive em outras viagens que fiz pelo Espírito Santo, nunca comi mal, mesmo quando comprava salgados de ambulantes, por exemplo. O único lugar ruim que eu comi foi o aeroporto, em uma outra viagem pra lá, mas aí não tem muito como fugir mesmo.

Em Meaípe existem uns três lugares para provar a famosa moqueca capixaba, todos estrelados pelo guia 4 rodas, bem mais leve que a baiana, pois não leva leite de coco nem azeite de dendê, os ingredientes básicos são: peixe, coentro, cebolinha, tomate e urucum. Ela vem fervendo numa panela de barro, típica capixaba. Geralmente acompanhando a moqueca vem, numa panela menor, vem uma moqueca de banana da terra para acompanhar. Estes restaurantes não são baratos, mas valem o preço!

Moqueca capixaba

Vai aí uma dica: a melhor moqueca capixaba que eu provei foi em Vila Velha, no restaurante “O Timoneiro”.